domingo, 23 de setembro de 2018

Não esquecemos .

Na Memória .....NA HISTÓRIA ....

BEBETO .

Sempre lembrado por nós. 
Ficaram na memória dos muitos que os viram, e jamais as esquecerão .
Poucos fizeram tantos e tão belos gols como Bebeto. 
Seu chute potente e certeiro lhe valeram o apelido de "canhão da serra" Batia na bola sempre de primeira, de voleio, de sem-pulo, de bate-pronto, não dando a mínima chance de defesa aos goleiros. 
Eternizado na Calçada da Fama FGF
Nascimento: 7 de setembro de 1946,
Falecimento: 19 de setembro de 2003





quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Eu Sou Gaúcho ...

" Eu sou do sul
É só olhar pra ver que eu sou do sul
A minha terra tem um céu azul
É só olhar e ver .....

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

De Cima ....

Brasil Visto de Cima . 

Episódio do Norte do Rio Grande do Sul do programa Brasil Visto de Cima, exibido no dia 27 de março no canal Mais Globosat.

Minuto 9:10 mostra a Arena e o Ginásio Teixeirinha . 

Link do Vídeo
https://t.co/7n9bKWPGdB




sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Pra Sempre ......

Nossos Ídolos não Morrem .....

ROBERTO 
Quando me perguntam quem era Roberto, respondo de pronto : O nosso Zidane !! Simples assim ... 
Jogava fácil ,falso lento , tocava na bola como se estivesse brincando .... 
UM Herói da minha seleção : Nadir ,João Pontes ,Daison Pontes , Lívio e Luis Carlos, Raul e ROBERTO , Luis Freire, Meca,Bebeto e Serginho


Foto Larry Rodrigues Moraes 
Em Pé : Ronaldo ,Mujica ,Brito,Moro ,Maurilio, Jair 
Agachados : Larry, Téio,Tarcisio, ROBERTO ,Toninho

Em tempo :
Devido nossa ausência nos últimos dias , deixamos de prestar algumas homenagens aos que nos deixaram e fazem parte da história Centenária do Gaúcho.

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

" Só Vou porque a Grama é VERDE .....

Prezados ,
Não poderia deixar passar em branco ,mesmo tardiamente , uma homenagem a esse grande torcedor do Gaúcho . 
Essa foto foi tirada ,Abril de 2010 ,quando da entrega das chaves do Carro sorteado. O sr Juca foi o ganhador. 
Juntamente com Jorge Rossato , fomos entregar o carro , falamos que ele tinha a opção de receber o carro ou em dinheiro. Nos pediu que fizesse um cheque , quando fui colocar o valor do carro mandou parar, " Presidente, coloque no cheque somente 60 % do valor , o restante fica para o Gaúcho" . 
ELE com certeza tem um grande pedaço da reconstrução do Clube. 
Vá com Deus seu JUCA .Nosso muito obrigado por nos ajudar .

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Nota Esclarecimento

NOTA DE ESCLARECIMENTO 


O Sport Clube Gaúcho vem a público esclarecer e informar a respeito da ação que corre no Tribunal de justiça Desportiva quanto a inscrição de atleta irregular. O SC Gaúcho no dia 04.04.2018 solicitou a transferência do atleta da Federação Catarinense e informou que o contrato seria ,COMO REGE A LEI , de 90 dias. Nosso advogado já está com a documentação para nos defender . Nesse momento, não é e nem será de procurar o responsável de quem fez ou deixou de fazer. 
A RESPONSABILIDADE É DO PRESIDENTE DO CLUBE .

Assinado : Gilmar Rosso - Presidente Sport Clube Gaúcho

sexta-feira, 6 de julho de 2018

É DECISÃO...

Faltam 3 Jogos para Subir .

Domingo é o 1º jogo. 
Com Sol , Chuva , Neve ,Jogos da Copa .....
Lugar de Torcedor do Gaúcho é na BSBios Arena 

domingo, 24 de junho de 2018

Pra Sempre ....

Ídolos Não Morrem .....
Daison morreu em casa, no dia 23 de junho de 2012, a pátria gaudéria de chuteiras perdeu um de seus maiores expoentes históricos. O eterno zagueiro Daison Pontes, irmão de João e Bibiano, se despediu dessa vida aos 72 anos, vitimado por um AVC. Seu desejo era ser enterrado com o uniforme do Gaúcho. Se foi, não sabemos. Ao menos a bandeira verde estava lá sobre ele. Para marcar seu passamento, recuperamos o belo texto de Maurício Brum, de março de 2010.


Daison não morre
26 de junho de 2012


Na tarde do último sábado (23), a pátria gaudéria de chuteiras perdeu um de seus maiores expoentes históricos. O eterno zagueiro Daison Pontes, irmão de João e Bibiano, se despediu dessa vida aos 72 anos, vitimado por um AVC. Seu desejo era ser enterrado com o uniforme do Gaúcho. Se foi, não sabemos. Ao menos a bandeira verde estava lá sobre ele. Para marcar seu passamento, recuperamos o belo texto de Maurício Brum, de março de 2010.

“O espírito Gaúcho não morre

“Hoje vai dar Gaúcho”. Torcedores são palpiteiros. Torcedores acertam e clamam aos ares que foram profetas. Torcedores erram e ignoram o que disseram antes de a partida começar. Ou botam a desculpa na má atuação de algum ou outro jogador. Torcedores comuns não têm qualquer poder em suas palavras quando preveem um resultado. Atiram verbetes no vácuo e, bem, torcem. Mas quem dizia aquilo era Daison Pontes.


Houve um tempo em que nenhum time poderia se julgar merecedor de reinar no Rio Grande do Sul sem sobreviver ao teste de Passo Fundo. Eram os anos sessenta, o estadual havia acabado de trocar o formato das fases regionalizadas por um torneio longo, próximo do que se tem hoje, e o Sport Club Gaúcho passara a ser figura cativa na elite do Estado. Daison fazia dupla com seu irmão, João Pontes, e juntos os dois formaram a mais temida defesa do interior.

Antes da criação dos cartões de advertência, em 1970, quando um jogador ser excluído da partida era raridade, Daison acumulou doze das suas dezoito expulsões na carreira – somente no insano 1964, foi mandado aos vestiários mais cedo em quatro ocasiões. João, o irmão mais novo, fora convidado a se retirar sete vezes. Daison não admitia desrespeito. Matou um cusco, bateu em criança, e certa vez destruiu com uma joelhada a coluna do argentino Nestor Scotta, do Grêmio, ao vê-lo cuspir na área do Gaúcho.

O lendário zagueiro chegou a tentar a sorte no Rio, de onde foi mandado embora por bater demais nos atacantes durante os treinos. Construiu sua fama em Passo Fundo. Estimulou a mística varonil da cidade, sendo suspenso do futebol por tudo o que um jogador poderia imaginar. Doping incluído. Em 1974, insultou o árbitro José Luiz Barreto após a marcação de um pênalti contra seu time, e ouviu do apitador que, se os dois se encontrassem fora de Passo Fundo, o cartão vermelho subiria para Pontes. “Se me expulsar, te quebro a cara”, respondeu Daison, que fez mais: prometeu só parar depois de atorar um árbitro.

Semanas depois, Daison e Barreto se reencontraram em Santa Maria, num jogo do Gaúcho contra o Inter local. O juiz cumpriu a promessa. O beque, também. Foi a última expulsão da carreira de Daison, que, pela agressão, mergulhou numa suspensão de um ano e meio antes de voltar a vestir a camisa verde de seus amores. A mesma camisa verde que sumira dos gramados sulinos depois de 2007, quando o Gaúcho perdeu na Justiça o caldeirão diabólico que era o estádio Wolmar Salton. É por não ter recuperado ainda sua cancha que o Gaúcho está mandando suas partidas na cidade de Marau. É por acreditarem que o clube é grande demais para permanecer inativo que seus dirigentes decidiram retomar o futebol profissional.

E é por saber que sua palavra permanece sendo lei que Daison Pontes decretou, à beira do campo, antes do duelo de domingo: aquele jogo contra o Esporte Clube Passo Fundo, o Clássico Ga-Pas, só poderia ser do Gaúcho.


A pequena Marau dista de Passo Fundo pouco mais de trinta e cinco quilômetros e não tinha qualquer perspectiva de observar no seu estádio algo de futebol profissional. A própria arquitetura do campo, duas arquibancadas nos cantos da relva com um PRÉDIO para a imprensa atrapalhando toda a visão no centro, evidencia o pouco costume do projetista em frequentar estádios de futebol. Pouco tempo atrás, a escassa chance de Marau contar com jogos envolvendo esportistas pagos equivalia às reduzidas perspectivas passo-fundenses de ver suas equipes de volta à ativa.

Há um ano, nem Passo Fundo e nem Gaúcho tinham equipes montadas. O Passo Fundo foi o primeiro a se mobilizar. Tido pelo conhecimento popular e exaltado nas faixas da torcida como o sucessor do velho alvirrubro citadino, o 14 de Julho, o clube na verdade surgiu como uma fusão destes com o próprio Gaúcho, em 1986. Os alviverdes desistiram daquilo um ano depois, e o Esporte Clube Passo Fundo, que se iniciara tricolor – verde, vermelho e branco -, passou a se assumir como o novo 14, usando apenas o rubro e o alvo. Em 2009, o clube imaginava estar voltando sozinho para a atual temporada, e apresentou um fardamento novamente tricolor.

Mas o Gaúcho, meses depois, disse que não estava extinto como se pensava. Trazia no coração, bem vivas, umas línguas de fogo de rivalidade, que queimavam o ar pelas palavras de seus comandantes. Preferiam Marau, diziam eles, porque mandar jogos no estádio do rival, o Vermelhão da Serra, atormentaria seus pensamentos até o último suspiro de suas existências. Em Marau, o Gaúcho vende ingressos não em bilheterias, mas nas vias de acesso ao campo. A estrada conduz ao Estádio Carlos Renato Bebber, que assim se chama para homenagear um jovem morto eletrocutado naquela zona – talvez por não terem pego o espírito da coisa, no domingo alguns sujeitos podiam ser flagrados empinando pipas nas cercanias da cancha, perto da rede elétrica.

A torcida do Passo Fundo, com seus trapos bradando “14 de Julho” e “Felipe – é gol”, foi colocada do lado DE FORA do estádio, atrás de uma das goleiras, pagando ingresso para mirar o duelo através do alambrado. Na Segundona Gaúcha, o estatuto do torcedor tem o mesmo valor das bobinas que as torcidas utilizam – pode ser atirado no campo e esquecido. Os aficionados tricolores se encaminharam até um dos dois lances de arquibancada do Carlos Renato Bebber e reclamaram que, no Vermelhão, não haviam deixado ninguém assistindo ao combate sobre coxilhas de terra vermelha. No setor já estavam postados alguns torcedores do Gaúcho, mas a entrada dos apoiadores do Passo Fundo foi permitida. Não se registraram incidentes mais graves que insultos às mães alheias.

Em campo, o duelo já contava quase todos os quarenta e cinco minutos iniciais e pouco, muito pouco, merecera análises aprofundadas dos comentaristas das rádios passo-fundenses. O Clássico Ga-Pas de número CATORZE (só), o primeiro disputado fora de Passo Fundo, teve sua metade de abertura com muitos carrinhos, outro tanto de passes errados, e dois goleiros exercendo funções semelhantes às de quem estava nas arquibancadas: olhar o resto do time correr e gritar para empurrar. A partida se resumia ao espaço entre as duas intermediárias. Luciano, o goleiro do Passo Fundo que só fora ameaçado uma vez até o intervalo, declarava com enfaro ao sair de campo: “que jogo bem ruim, não acontece naaaaaaada” – com a profusão de vogais notável.

O técnico Bebeto Rosa preferiu manter os tricolores no clima da cancha. Levou sua lousa para a frente da casamata e, com os jogadores sentados no banco de reservas, dedicou-se a fazer as correções que julgava necessárias e a discorrer sobre as entradas violentas, os passes certeiros, os amores, e todas essas coisas que transformam homens comuns em campeões. Tendo suas frases entrecortadas pela batucada da torcida do Gaúcho no teto da casamata, Bebeto viu como seus comandados pareceram entender a ordem. O Passo Fundo teve seus melhores momentos nos primeiros minutos depois do apito de reinício do árbitro, castigando a trave do Periquito aos 65 minutos, através de Fabiano Diniz.

O segundo tempo estava definitivamente mais movimentado. Paulo Roberto, tricolor, bateu cabeça com o adversário Didi, caiu no chão tendo convulsões de dor e sangrou litros. Em algum canto do estádio, o saudosismo de Daison Pontes deve ter aumentado um pouco mais. A ambulância amassou a relva para levar Paulo Roberto até o hospital mais próximo, e os torcedores do Passo Fundo seguiam ocupados demais ovacionando seu gladiador caído para perceber que, depois da paralisação, o jogo foi mais e mais do Gaúcho.

Naquela equipe de verde havia um zagueiro que em toda a tarde não conheceu o erro. E um capitão capaz de vibrar pela menor vitória simbólica obtida em campo. Baggio e Paulinho. O Ga-Pas começou a inverter sua tendência por causa deles. Baggio e Paulinho, sob influência das palavras infalíveis de Daison, derrubaram a parede de seus limites para colocar o Gaúcho um pouco mais sonhador, um pouco mais pegador, e totalmente vencedor. E aos 82 minutos, num cruzamento à área, foi o baixo Guinho quem se esticou para cabecear e caiu se enroscando nas redes para fazer o 1 a 0 do Periquito, mas foram Baggio e Paulinho os que mais vibraram.

A partida se estendeu até os 90+8 minutos, em função da ambulância e das paradas para beber água. Mas o Passo Fundo não conseguiu recobrar seu rumo. No quinto minuto de acréscimo, quase lamentou o segundo gol contrário, numa esfera que se esmagou no travessão. O Gaúcho venceu o clássico. O Gaúcho, que por três temporadas permaneceu fechado, enterrado, e dado como morto, garantiu a classificação com os pontos ganhos sobre o maior rival. “O Gaúcho não vai morrer nunca”, declarou um eufórico dirigente, com a satisfação que só conhece quem já perdeu uma paixão e a reconquistou.

Aos poucos os torcedores iam tomando a estrada, deixando as dependências do estádio e engarrafando as vias que abandonam Marau. Na onda de otimismo, com o mesmo olhar feroz que tantos ossos trincou e um porte físico digno de fardar e entrar em campo apesar dos setenta invernos que pesam sobre as costas, Daison Pontes chegou a afirmar que não tem dúvidas de que o Gaúcho ainda vai recuperar seu estádio em Passo Fundo. E se Daison diz…

Maurício Brum“

sábado, 16 de junho de 2018

Domingo na Arena .......

É DOMINGO ...
É  NA BSBios ARENA 
É Decisão ....
É Doação ....
É Domingo..... quem comprar as camisas do Gaúcho receberá ,sem custo ,o Livro do Centenário.

Durante jogo serão sorteadas duas camisas oficiais, dentre aqueles que levarem um agasalho ou um alimento não perecível para doação aos desabrigados do vendaval dos últimos dias.

A VENDA : Loja Botoli da Rua Bento Gonçalves . R$ 150,00 e ganha o Livro dos 100 Anos

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Grande Parceiro do Gaúcho


SC Gaúcho promoverá arrecadação


Jogo de domingo servirá também como auxílio às pessoas afetadas pelos temporais. Antes de entrar em campo, clube acertou com mais um patrocinador

No próximo domingo (17) o Sport Clube Gaúcho voltará a campo para disputar mais um jogo válido pela Terceirona. Será a partir das 11h, diante do Elite de Santo Ângelo, em um duelo direto pela liderança – e título simbólico – da Chave A na fase classificatória. Mas a direção foi além e anunciou medidas para auxiliar a população atingida pelos temporais da última semana.
Para o domingo, quem comprar as camisas do Gaúcho receberá sem custo o Livro do Centenário. Durante jogo serão sorteadas duas camisas oficiais, dentre aqueles que levarem um agasalho ou um alimento não perecível para doação aos desabrigados do vendaval dos últimos dias.
Patrocinador

Ontem (14) mais uma empresa firmou parceria para o centenário do SC Gaúcho. A Lavoro, através de seus Diretores Erasmo Carlos Battistella e Anderson Strada, assinou o contrato de patrocínio das camisas do Alviverde para os anos 2018 e 2019. A logomarca da empresa estará em todas as camisas, nas costas. O diretor Erasmo Battistella destacou a parceria que a Lavoro tem com o Gaúcho, “Somos parceiros do Gaúcho desde sempre e a Lavoro não poderia ficar sem ajudar o clube nessa caminhada, principalmente no ano do seu Centenário”. O presidente do Gaúcho, Gilmar Rosso, agradeceu e lembrou que graça a Lavoro o corte da grama da Arena é feita desde sua inauguração com um Trator doado pela empresa, Salientou também “que graças a assinatura do contrato com a empresa, algumas ações serão desencadeadas a partir de hoje”. 


quinta-feira, 7 de junho de 2018

Dois ....

Dois centroavantes no SC Gaúcho

Autor: Kleiton Vasconcellos

Ao mesmo tempo em que conta com os gols de Matheus Paulista na na Terceirona de 2018, o treinador Gelson Conte ganha o reforço de Fischer, artilheiro do time em 2016

Dono do melhor aproveitamento de pontos da Terceirona 2018 e líder isolado da Chave A, o Sport Clube Gaúcho quer mais. O Alviverde tem como grande objetivo da temporada em que completa 100 anos obter um lugar na Divisão de Acesso 2019. Para tanto, não economizou nas contratações e passa a ter dois postulantes a dono da mística camisa 9, a mesma eternizada por Bebeto.

Um é a surpresa de 2018. Vindo sem alarde do Cruzeiro de Porto Alegre, Matheus Paulista vem agradando com a camisa do Gaúcho. Com 20 anos, assumiu a condição de centroavante titular e vem dando conta do recado, marcando cinco gols em seis partidas. É o vice-artilheiro da Terceirona e não vê problemas na concorrência pela titularidade. “É uma disputa sadia entre dois centroavantes que buscam o seu espaço no time” disse Paulista.

O atual titular refere-se ao antigo dono da posição. Homem gol na campanha do Gaúcho finalista em 2016 e depois com participação pouco mais tímida em 2017, Dionatan Fischer está de volta. Autor de 19 gols nos dois anos, Fischer retorna à Arena após jogar a Divisão de Acesso pelo União de Frederico Westphalen. “Chego para somar. O Paulista é um excelente jogador e está numa fase boa, que espero ter continuidade. Estamos todos em prol do objetivo que é o acesso” afirmou Fischer.

Embora possam ser da mesma função, talvez a disputa não exista. Segundo o treinador Gelson Conte, “são dois grandes profissionais e goleadores. Pelo regulamento, só posso usar três dos quatro jogadores vindos de outras divisões, caso do Fischer”. Além do centroavante, também estão nessa cota o zagueiro Bruno, volante Toto e o meia Adílson. “Mas nada impede, até pelas características dentro de campo, que eu possa utilizar os dois juntos” finaliza o treinador.

Treinos

As opções terão um longo tempo para ser testadas por Conte. Ocorre que o Gaúcho só volta a campo no dia 17, frente ao Elite na Arena BSBios Wolmar Salton. O time terá, então, quase duas semanas para azeitar a escalação.

Melhor ataque

Até aqui o Gaúcho já anotou 12 gols na Terceirona. Neste quesito, está atrás de Guarany (14) e Farroupilha (13), dois times da Chave B.  

domingo, 27 de maio de 2018

Seja um Sócio Centenário

Comissão Sócios Centenário    Reunião  

Luciano Azevedo j Jerônimo Fragomeni Jorge Rossato Augusto Ghion, Alberi Falckembach Ribeiro, Marco Stefani

Reunião  Sócios  Centenário  

Seja um sócio Centenário  -  Contribua  com quanto puder e quiser 


Mande seus dados   para  email sportclubgaucho@gmail.com  

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Homenagem Governo Estado Aos Clubes Centenários

Sport Clube Gaúcho recebe homenagem.

O quase centenário Palácio Piratini, que completou 97 anos na semana passada, teve uma tarde de "o mais jovem da turma" nesta segunda-feira (21).

A sede do Poder Executivo do Rio Grande do Sul foi palco para uma homenagem aos 36 clubes gaúchos de futebol que já passaram dos cem anos de história.

Presidente Federação Gaúcha de Futebol Francisco Novelletto, Governador José Ivo Sartori , Membro Conselho Consultivo do Clube - Ayrton Lângaro Dipp e  Presidente Grêmio Foo Ball Porto Alegrense - Romildo Bolzan Junior 




terça-feira, 22 de maio de 2018

No Caminho Certo ....

Gaúcho vence e mantém 100% de aproveitamento
 Time passo-fundense venceu o Cruz Alta por 2 x 0

Bom futebol, clima de segundona e um excelente resultado. Domingo, às 11 horas da manhã, na Arena Wolmar Salton – BSBIOS, o Sport Clube Gaúcho confirmou 100% de aproveitamento. 
Em jogo pelo Grupo A da Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho, venceu o Cruz Alta por 2 x 0. Com esse resultado, sua quarta vitória consecutiva, a equipe disparou na liderança de sua chave, com 12 pontos. 
Quem enfrentou o frio da manhã nublada, teve como recompensa um bom futebol. E não foi barbada, pois o Cruz Alta, que também estava invicto, entrou em campo decidido, marcando bem e incomodou a defesa do Gaúcho. 
Mas o time do técnico Gelson Conte soube administrar o jogo para chegar à vitória. Agora o Gaúcho tomará um fôlego na rodada seguinte, pois o próximo compromisso será em 02 de junho, também em casa.

Jogo
Na primeira etapa o nervosismo quase atrapalhou o espetáculo. Chutes isolados até deram um brilho inicial. Porém, aos 21 minutos, um desentendimento quase propiciou uma confusão generalizada. Pequeno tumulto, proteção policial ao árbitro, um cartão amarelo para cada lado e segue o jogo. 
Depois, atendendo convite do árbitro, o técnico do Cruz Alta deixou a casamata e foi cicereonado pela BM.

Enquanto isso, em campo tinha muito futebol. Aos 45 minutos a bola sobrou para Mateus Paulista. 
A profissão dele é centroavante: Gaúcho 1 x 0.

Na segunda etapa prevaleceu o melhor fôlego do Gaúcho. 
Mas os dois times fizeram bonitas jogadas de ataque. Em meio às substituições, Adilson reestreou mais uma vez com a camisa do Gaúcho. Aos 34, Dudu foi para a área e subiu com precisão para ampliar de cabeça: Gaúcho 2 x 0. 
Então, entrou em cena o experiente Adilson. Pegou a bola no meio e, com maestria, trocou passes e passeou com ela pelo gramado, deixando o tempo passar. 
Depois ele até perdeu aquele gol que ‘ninguém perderia’, mas continuou patrão da bola até o apito final. 
Vitória, 100% de aproveitamento, liderança isolada e a melhor campanha da Segundona Gaúcha. 
Um bom domingo para todos que estavam de verde.

Gaúcho: Yan; Lucas, Bruno, Dudu (Marcelo) e Felipe; Toto, Maylon, Henrique (Adilson) e Júlio; Rafinha e Mateus Paulista (Lio). Técnico: Gelson Conte
Cruz Alta: Alisson; Ranieri, Vitor, Douglas e William; Rafael, Deivid (Rodrigo), Lobinho (Mateus) e Cristiano; Rodriguinho e Vinícius (Batista). Técnico Rodrigo “Testa”
Gols: Paulista e Dudu
Arbitragem: Janvie Baroni com Fabrício Milani e Fábio Winck
Cartões: Amarelos para Dudu, Toto, Maylon e Rafa (G); Vitor, Deivid e Lobinho (CA)

Crédito: LC Luiz Carlos Schneider Do Amaral Santos

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Jogo e Camisa Passaport

Torcedor que comprar Camisa do Centenário tem Direito :

1 Livro BEBETO GANHÃO da Serra

Entrada Livre em TODOS os Jogos 2018



terça-feira, 15 de maio de 2018

Homenagem ....

SESSÃO SOLENE
SPORT CLUBE GAÚCHO RECEBE HOMENAGEM DA CÂMARA PELO SEU CENTENÁRIO
14/05/2018

A Sessão Solene desta segunda-feira (14), protocolada pela Mesa Diretora da Casa, referendou os 100 anos de fundação do Sport Clube Gaúcho em cerimônia realizada no Plenário Sete de Agosto, na Câmara Municipal. O evento contou com a participação dos vereadores, além do ex-prefeito Fernando Carrion, do atual presidente do clube, Gilmar Rosso, e do presidente do Conselho Deliberativo, Alberi Falchenbach Ribeiro.

A Sessão teve início às 19 horas, após as formalidades da abertura, contando com a palavra do vereador Leandro Rosso (PRB), escolhido pelos demais parlamentares a discursar sobre a data comemorativa ao centenário do Gaúcho. Rosso reforçou sobre a celebração do centenário do clube e sua relevância. Citando um trecho do hino que diz “deixastes nos campos de luta, teu nome gravado na história”, o vereador fez um apanhado sobre a grande trajetória da agremiação. Ela levou o nome da cidade de Passo Fundo para além-fronteiras. Também lembrou sobre as glórias que o clube alcançou citando seus principais títulos.

O Sport Clube Gaúcho tem diversos títulos no futebol profissional, sendo, ao todo, 13 regionais, seis de nível estadual, além de quase 50 torneios e campeonatos em nível municipal em sua agora centenária história. Após evocar essa memória, o vereador Rosso lembrou as dificuldades que a instituição enfrentou, o que culminou no leilão do estádio Wolmar Salton. Depois, o parlamentar exaltou a determinação e apoio daqueles que acreditaram em um futuro melhor para o clube alviverde. “Foi preciso muita coragem, motivação e acreditar em algo que ninguém mais acreditava. E foi assim, que um louco, como ele mesmo se intitula, conseguiu convencer outros loucos a segui-lo e tornar um sonho realidade”, exaltou Leandro ao se referir ao atual presidente, Gilmar Rosso, que foi um protagonista da retomada das atividades do clube.

A cerimônia seguiu com a entrega da placa comemorativa ao centenário do Gaúcho ao mandatário da instituição, feita pelo vereador Leandro Rosso. Logo, em seguida, ocorreu o Momento Cultural da sessão, tendo como protagonistas alguns integrantes do grupo teatral Timbre de Galo, que prestaram suas homenagens tocando o hino do clube e vestindo a camisa do atual uniforme do time.

No momento seguinte, a palavra foi passada ao presidente do Sport Clube Gaúcho, Gilmar Rosso. Ele iniciou sua fala lembrando que o mesmo amor que ele tem pela sua cidade, seu Estado e seu País ele tem pelo clube. O presidente do clube ressaltou sua longevidade lembrando que, “ em Passo Fundo, poucas instituições conseguiram atingir essa data”. Em seguida, Rosso reforçou sobre o fato de seu clube sempre ter sido referência da cidade para qualquer lugar que fosse.

Gilmar ressalta que, para um clube deste porte ter vida longa, é fundamental ter o apoio de patrocinadores, citando a revitalização do Ginásio Teixeirinha como um exemplo de força conjunta de torcedores, apoiadores e do Poder Público. “Nós estamos momentaneamente administrando, mas o detentor é o Município, porque o ginásio e a Arena do Gaúcho são um bem público”, afirma o presidente. Ele conclui sua fala agradecendo aos torcedores e apoiadores, lembrando que o clube chegou aos 100 anos não por obra de um ou outro, mas, sim, “foi todo um colegiado de pessoas que irmanou na mesma direção”, afirmou Gilmar Rosso.

Foto: Comunicação / Câmara de Vereadores

terça-feira, 1 de maio de 2018

Sport Clube Gaúcho

A Festa é Nossa ......

Torcedor ,a Festa é Nossa.


A Festa é Nossa.
Compre e receba em casa ou na sua empresa :
Whatsapp GAÚCHO 54 99981 4139
Email: esporteclubegaucho@gmail.com
            sportclubgaucho@gmail.com


























domingo, 29 de abril de 2018

Gaúcho vive uma ano marcado pelo Tempo .......

GAÚCHO EM CAMPO NO ANO DO CENTENÁRIO

Estará iniciando um
a temporada histórica.

O Sport Clube Gaúcho vive um ano marcado pelo tempo

sábado, 28 de abril de 2018

Está Iniciando Uma Temporada Histórica

Gaúcho em campo no ano do Centenário

Time estreia na Segundona em casa diante do São Borja

O Sport Clube Gaúcho vive um ano marcado pelo tempo.

Domingo, às 11 horas,a equipe entrará na Arena Wolmar Salton – BSBIOS para enfrentar o São Borja.

Estará iniciando uma temporada histórica.

Será o primeiro jogo no ano do Centenário do clube, reverenciando um período de tempo de 100 anos. O grupo fez boa temporada, pois teve um bom tempo para isso. Depois de um tempo de adiamentos e incertezas, finalmente vai começar o Campeonato Gaúcho de Futebol Segunda Divisão - Série “B”. Foi um tempo extra para a preparação.

Mas, enfim, agora o tempo será dedicado ao futebol, com a bola rolando em dois tempos. Mas, claro, não faltará um bom tempo para todas as comemorações do Centenário.

Força do conjunto

Um ritmo forte define a preparação do elenco do Gaúcho, segundo o técnico Gelson Conte. “A força do conjunto, com abrangência tática, está dentro daquilo que nós queremos”. Ele entende que “ninguém ganha jogo antes e o São Borja é um adversário qualificado, pois também está em busca de uma vaga”. Gelson cumprirá suspensão de um jogo, imposta no ano passado, e ficará fora da casamata. O time do Gaúcho será orientado pelo auxiliar Jeferson Câmara .

Time

Para o jogo de estreia, o Gaúcho deverá manter o time-base dos últimos treinamentos: Ian; Bonio, Eduardo, Marcelo Oliveira e Júnior Bahia; Mailon, Toto, Júlio César e Henrique; Rafinha e Mateus Paulista.

De acordo com o presidente, Gilmar Rosso, o clube já conta com 25 jogadores inscritos no BID.

Os ingressos têm preço único de R$ 10.

Jornal O Nacional Publicada em: 28/04/2018, por Luiz Carlos Schneider Do Amaral Santos



sexta-feira, 27 de abril de 2018

Empossados

Conselho do Centenário do Gaúcho toma posse na Arena BS Bios
Créditos: Luciano Silveira/Rádio Uirapuru

Na noite de hoje (26), o Sport Club Gaúcho apresentou os Conselheiros Executivos do Centenário. O clube vem realizando diversas ações para marcar o seu aniversário de 100 anos e entre elas está a criação deste grupo de apoio, que vem sendo composto por mais de 100 pessoas de diversos setores da cidade, entre torcedores, admiradores e empresários.

O evento de posse do Conselho do Centenário iniciou às 18h30, na Arena BS Bios/Wolmar Salton e foi presidido pelo prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, tendo como vice, Augusto Ricardo Ghion Jr, filho do ex-presidente Augusto Ghion, conhecido pelos torcedores periquitos como “Marau”.

Conforme Luciano, presidente do Conselho do Centenário, o pedido para trabalharem em prol do clube foi bem aceito e resultou em um grupo forte de pessoas que atuarão para ampliar a busca de novas parcerias para ajudar o Sport Clube Gaúcho neste momento histórico.
“Estamos ao lado do presidente Gilmar Rosso e sua diretoria para fazer um Gaúcho cada vez mais forte”, disse Luciano. A reunião do Conselho do Centenário do Sport Clube Gaúcho foi aberta a quem quisesse participar e colaborar efetivamente com o clube.
“É uma ação importante para ajudar o clube nesse momento, a criação deste Conselho do Centenário, trazendo mais credibilidade ao trabalho feito até o momento. O prefeito Luciano Azevedo teve a sensibilidade e também a disponibilidade de assumir este compromisso, e com isso, trazendo de volta, torcedores e colaboradores que estavam afastado do nosso clube. Com certeza, é mais um grande momento de demonstração de união que estamos tendo”, destacou o presidente do Gaúcho, Gilmar Rosso.

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Posse ...

Conselho do Centenário do Gaúcho terá posse nesta quinta-feira

O Sport Clube Gaúcho está realizando diversas ações para marcar o seu aniversário de 100 anos. Entre elas, está a criação de um grupo de apoio denominado Conselheiros Executivos do Centenário do Gaúcho, que está sendo composto por mais de 100 pessoas de diversos setores da cidade, por torcedores, admiradores, empresários e conselheiros.

Nesta quinta-feira, dia 26, às 18h30, acontecerá na Arena BS Bios /Wolmar Salton, a posse do Conselho do Centenário, que será presidido pelo prefeito de Passo Fundo,Luciano Azevedo, tendo como vice, Augusto Ricardo Ghion Jr, filho do ex-presidente Augusto Ghion, o “Marau”, assim conhecido pelos torcedores periquitos, que esteve à frente da presidência do clube mais de uma vez.

Conforme Luciano, presidente do Conselho do Centenário, o pedido para trabalharem em prol do clube foi bem aceito e resultou em um grupo forte de pessoas que trabalharão para ampliar a busca de novas parcerias para ajudar o Sport Clube Gaúcho neste momento histórico.

“Estamos ao lado do presidente Gilmar Rosso e sua diretoria para fazer o gaúcho cada vez mais forte”, disse Luciano. Ele acrescentou que a reunião do Conselho do Centenário do Sport Clube Gaúcho será aberta a quem quiser participar e colaborar efetivamente com o clube.

“É uma ação importante para ajudar o clube nesse momento, a criação deste Conselho do Centenário, trazendo mais credibilidade ao trabalho feito até o momento. O prefeito Luciano Azevedo teve a sensibilidade e também a disponibilidade de assumir este compromisso, e com isso, trazendo de volta, torcedores e colaboradores que estavam afastados do nosso clube. Com certeza, é mais um grande momento de demonstração de união que estamos tendo”, destacou o presidente do Gaúcho, Gilmar Rosso.

Mais informações sobre a reunião do Conselho do Centenário que será nesta quinta feira, às 18h30 na Arena, podem ser obtidas através do fone 054. 99944.3750.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Gaúcho 1962

SUA HISTÓRIA É A NOSSA HISTÓRIA 

Gaúcho 100 Anos 12 de Maio de 1918

Gaúcho de 1962
Em pé: Cavalheiro, Amancio, Sariba, Branco, Maneca e Hugo Loss;
Agachados: Meca, Montezzana, Armando, Chita e Banana;