domingo, 30 de dezembro de 2012

2012 - O ANO DA VIRADA


O ANO DA VIRADA ALVIVERDE 

Perto de saldar dívida de R$ 6 milhões, direção do Gaúcho já faz planos para 2013

Por Gerson Lopes/ON
O ano da virada alviverde
Taça de vice-campeão da Segunda Divisão entra para a galeria dos troféus do clube






















Com duas viradas de jogo, uma delas dentro dos gramados e outra na Justiça, 2012 já é considerado pelos torcedores como um dos anos mais importantes na história quase centenária do Sport Clube Gaúcho. Além de garantir presença na divisão de acesso com um plantel, cuja folha de pagamento não excedia R$ 9 mil, a direção deve anunciar nos próximos dias o resultado de uma negociação que promete resgatar a saúde financeira e projetar o  futuro do clube.

O chamado ‘ano da virada’ ainda reserva mais surpresas ao torcedor. Uma audiência pública marcada para a próxima terça-feira poderá confirmar a doação, por parte de prefeitura, de uma área nas imediações do ginásio poliesportivo do Teixeirinha. A intenção é construir uma mini-arena, com capacidade para 15 mil pessoas,  estacionamento e centro de treinamento.

De um clube considerado falido até seis meses atrás,  o Gaúcho passou a vislumbrar uma perspectiva sonhada até pelos grandes do futebol brasileiro: zerar todas as dívidas, inclusive com o INSS. Para reverter o quadro, o presidente Gilmar Rosso, apoiado por um grupo de conselheiros, vem peregrinando, desde 2010, pelos  corredores e salas do fórum de Passo Fundo com a espinhosa  missão  de saldar uma dívida de R$ 6 milhões. São 299 ações, a maioria  movidas por jogadores e funcionários, nas varas cível e trabalhista. A principal delas surgiu em 1996 quando um menino, que na época tinha 10 anos, afogou-se na piscina do clube e passou a viver em estado vegetativo. O clube também é devedor do  INSS e Receita Federal.

 “Tem até a ação de um torcedor de outra cidade que foi agredido com um guarda-chuva por outro torcedor do Gaúcho. Ambos entraram na Justiça contra o clube” revela Rosso, apontando para a pilha de documentos acumulada em três anos de sua gestão. As projeções otimistas para 2013, são resultados de uma virada de jogo iniciada a partir de abril do ano passado, quando o  Tribunal de Justiça do Estado aceitou a tramitação do processo que pedia  anulação do leilão  do  Wolmar Salton, realizado em junho de 2007. A cartada final veio em junho deste ano, com a  autorização judicial para colocar a área do estádio à venda e usar o dinheiro no pagamento das dívidas.
“Realizamos uma audiência e chegamos ao consenso de que somente vendendo o estádio poderíamos quitar as dívidas. Não havia outra alternativa. Encerramos a batalha judicial e conseguimos resolver 99% das ações através de acordos. Cada lado cedeu um pouco. Foram três dias seguidos de negociações. Essa foi a grande virada do Gaúcho fora das quatro linhas” comenta emocionado o presidente.

Para garantir transparência na negociação da venda, Rosso determinou que as propostas de compra fossem encaminhadas para a 5ª Vara de Família, no fórum de Passo Fundo, em envelopes lacrados e constando o número do processo.  No período de 30 dias, duas delas  foram apresentadas e uma  acabou sendo aceita. Mantido em segredo de justiça, o nome e os valores da compra somente serão revelado com autorização da empresa compradora, o que deve ocorrer nos próximos dias. Rosso adianta que o dinheiro será suficiente para sanar as dívidas e que ainda sobrará  uma parte para investir na construção da mini-arena.

Classificação surpreendente

 “Um olho no gato e outro no peixe” assim o presidente Gilmar Rosso definiu a dupla tarefa de cuidar, ao mesmo tempo, da parte administrativa e do futebol no segundo semestre de 2012. Após desatar os nós formados por quase três centenas de ações e vencer a batalha na Justiça, o desafio da direção passou a ser a disputa da Segunda Divisão, com um plantel composto por 23 atletas, a maioria jovens e sem nenhuma experiência em competição profissional.
      
Rosso revela que a decisão de colocar o time em campo na estreia diante do Nova Prata, somente foi tomada três dias antes da partida. “Estávamos aguardando um posicionamento  da Justiça envolvendo as negociações com o estádio. Se o resultado não fosse favorável, fecharíamos as portas em definitivo, mas felizmente deu tudo certo. Era sexta-feira e eu não sabia se tinha jogadores suficientes inscritos no BID da CBF para jogar no domingo” lembra.

Situação que acabou atrasando a contratação de reforços e do próprio treinador. Celso Freitas chegou na semana seguinte à estreia e assumiu os trabalhos. Com uma folha de pagamento de aproximadamente R$ 9 mil, contra clubes que investiram até R$ 100 mil mensais, o time iniciou a disputa  com o mesmo objetivo traçado pelo presidente quando assumira em 2010: manter o Gaúcho  vivo e a paixão de seu torcedor acesa.

Os percalços seguiram ao longo da competição. Na primeira fase, a equipe não entrosou e os resultados negativos viraram rotina. Nos cinco primeiros jogos, o alviverde somou apenas um ponto e fez moradia na ponta de baixo da tabela. Jogadores continuaram trabalhando e os resultados positivos surgindo aos poucos. A classificação, tida como impossível até mesmo para os torcedores mais fanáticos, foi se materializando na reta final e acabou se confirmando.
      
 As turbulências não deixaram o clube nem mesmo nos momentos de vitória. O time ainda comemorava a vaga quando foi surpreendido com o pedido de demissão do  técnico Celso Freitas e de outros dois jogadores. O trio trocou o alviverde pelo Guarani de Garibaldi, que por ironia do destino, seria eliminado na semifinal pelo próprio Gaúcho.
      
Sem comandante, a direção decidiu buscar a receita em casa. O preparador físico Marco Aurélio e o auxiliar Roberto Chaparini assumiram a função. A dupla ainda ganhou o reforço do ex-jogador Serjião, responsável pelos trabalhos físicos.  O primeiro desafio do trio na fase mata-mata foi  diante do TAC de Três Passos, até então invicto na competição.  Após a derrota por 1 a 0 em casa, a missão era buscar a classificação longe da torcida.

Além da vantagem no jogo de ida, o TAC saiu na frente no segundo confronto. A vaga já estava sendo definida quando o atacante Léo saiu do banco de reservas para mudar a história. Ele fez o gol de empate aos 9 minutos do segundo tempo, e virou o jogo aos 40.
      
No escritório onde trabalha, o presidente mostra com orgulho uma folha com anotações táticas feitas para o confronto decisivo em Três Passos. Segundo ele, a entrada de Léo estava programada para acontecer aos 10 minutos da etapa final, mas foi antecipada  em dois minutos. “Como ele havia sido muito bem marcado na primeira partida, resolvemos deixá-lo no banco. A estratégia deu certo” revela.

Embalado e confiante, o Gaúcho carimbou presença na Divisão de Acesso  e na final da Segundona, em dois jogos históricos diante do Guarani de Garibaldi do técnico Celso Freitas. Após vencer  1 a 0 em casa, o time perdeu por 2 a 1 no segundo confronto, mas foi beneficiado pelo saldo de gols. Para aumentar ainda mais o sofrimento do torcedor, a partir dos 30 minutos finais, o Gaúcho teve um jogador expulso. 

“Quando chegou aos 40 minutos eu não vi mais nada. Esses quatro confrontos, com o TAC e o Guarani são o que chamamos de ‘jogos para sempre. As duas derrotas para o Aimoré na final em nada mudaram a história desses confrontos” definiu o presidente.

“O Gaúcho nunca morre”

  Responsável em comandar os passos do Gaúcho desde 2010,  Gilmar Rosso se emociona ao falar do sentimento pelo clube que aprendeu a gostar através de seu pai. Ele revela que boa parte das estratégias adotadas para livrar o clube da falência definitiva, aprendeu durante o período em que era oficial do exército em Santiago do Boqueirão. 

Mesclando emoção e pulso firme, Rosso diz que o desafio seguinte será a construção do novo estádio. “Estou acostumado a ser chamado de louco na rua, mas louco foram os que me seguiram e acreditaram em mim. Conseguimos colocar o Gaúcho em campo, resolvemos as pendências judiciais, agora vamos partir para outra etapa”  projeta. 

Questionado sobre as pretensões de subir para a primeira divisão já em 2013, diz apenas  que montará uma boa equipe e que a meta continua sendo 2018, quando o alviverde completará 100 anos. 

   “Até lá estaremos disputando a série C ou B do Campeonato Brasileiro. Nós somos os verdadeiros imortais. 

   "O gaúcho nunca morre” revela, mencionando a frase pichada no muro do Wolmar Salton

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

GAÚCHO RECEBE OFICIALMENTE ÁREA PARA CONSTRUIR ESTÁDIO

27/12/2012 | Esporte, por Jornalismo Rádio Uirapuru

Prefeito Dipp assina repasse de terreno ao Gaúcho





A partir de agora o clube pode iniciar a obra do seu novo estádio.

Na tarde desta, quarta-feira, 27, o Prefeito municipal Airton Dipp, assinou o repasse, em forma de concessão de uso, de uma área pública para o Sport Clube Gaúcho construir seu novo estádio. O projeto, de autoria do poder executivo, determina que o clube poderá usufruir do terreno, de aproximadamente 4 hectares, localizado atrás do Ginásio Teixeirinha, por 30 anos.

A proposta foi aprovada por unanimidade pela Câmara de Vereadores dos, no último dia 18 deste mês. A partir desta sanção do prefeito municipal, o Gaúcho poderá iniciar os trâmites para a construção de sua casa.

Conforme um dos torcedores ilustres e conselheiro do clube, Anielo Darienzo, "os méritos desta nova fase do Gaúho, deve-se ao Presidente Gilmar e ao Prefeito Dipp, que são pessoas acima de qualquer suspeita de conduta".

O projeto da Arena está estimado em 8 milhões de reais e parte da verba virá do valor restante da venda do Estádio Wolmar Salton. O restante deverá ser arrecadado junto a comunidade, apoiadores, empresas e patrocinadores. No projeto de lei está estipulado o prazo de um ano para que as obras sejam iniciadas. 

A pedido do Prefeito Airton Dipp, Gilmar Rosso confirma que o local permanecerá com o nome Arena Sport Clube Gaúcho Volmar Salton para, assim, manter sua história, me somente depois do dia 05 de janeiro o clube vai começar projetar a construção e viabilização da obra.

Ouça a entrevista que o Repórter Lucas Tibolla, realizou com lideranças do Gaúcho e o Prefeito Airton Dipp.
http://www.rduirapuru.com.br/noticias/prefeito-dipp-assina-repasse-do-terreno-ao-gaucho

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL

Os dias são atarefados,
d43e04.gif
As horas
 passam depressa, 
d43ed0.gif
Os segundos 
são escassos,
d43eed.gif
mas há sempre tempo de enviar um e-mail
 ...
d43f0b.gif
Desejando... 
FELIZ NATAL!!!
                ... 
FELIZ ANO NOVO!!!
                ... 
RICAS BÊNÇÃOS DE DEUS!!!
.... e um milhão de coisas boas para você no novo ano de 
 2013 !!!
 
 

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

SESSÃO HISTÓRICA PARA O SC GAÚCHO




(Comemoração da concessão da área ao Sport Clube Gaúcho / FOTO FABÍOLA HAUC

Uma nova casa para o Sport Clube Gaúcho
Em sessão extraordinária, os vereadores aprovaram o projeto que concede uma área para construção do estádio do clube. Ainda, foram aprovados mais seis projeto
O projeto de lei n° 110/2012, de autoria do Poder Executivo firmou o contrato de concessão de uso de bem imóvel ao Sport Clube Gaúcho em uma área localizada próxima ai Ginásio Teixeirinha, pelo período de 30 anos. 
A conquista para os torcedores e para o Gaúcho emocionou os representantes do clube que acompanharam a votação. A ideia de um lugar apropriado, com a construção de um projeto inovador, é a maior expectativa há anos. 
“Foi um momento memorável para nós do Gaúcho, nós torcedores, nós dirigentes, é até um pouco engasgado porque batalhamos para chegar neste dia, nesta hora. O Sport Clube Gaúcho está mais vivo do que nunca e nós começamos uma nova etapa, a da reconstrução do lado material, porque o lado afetivo e emocional, o lado do torcedor nunca morreu”, afirmou o presidente do Gaúcho, Gilmar Rosso. 
De acordo com o presidente, o que sobrar do acerto de contas com a venda do antigo terreno e o pagamento de pendências, será empregado em grande parte para a construção do estádio. Há um projeto arquitetônico e de captação de recursos, pois se estima que os valores fiquem em torno de R$ 8 milhões. 
“Vamos fazer a nossa casa graças ao apoio da comunidade representado pelo prefeito Dipp, pela aprovação da Câmara e, principalmente, é uma área para a história de Passo Fundo, o Gaúcho faz parte da história”, finalizou Rosso.

A ARENA DO GAÚCHO


ARENA DO GAÚCHO


ARENA DO GAÚCHO 







REVISTA GOOOL A SAGA DO IMORTAL GAÚCHO II


REVISTA GOOOL A SAGA DO IMORTAL GAÚCHO I


REVISTA GOOOL - A SAGA DO IMORTAL GAÚCHO



quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

ARENA DO GAÚCHO


ARENA DO GAÚCHO 









ÁREA SC GAÚCHO

AGORA É OFICIAL :



ÁREA DO SPORT CLUBE GAÚCHO   JUNTO AO GINÁSIO TEIXEIRINHA


FOTO  I   GOOGLE MAPS 
https://maps.google.com.br/maps?ll=-28.274475,-52.439075&spn=0.005528,0.009645&t=u&z=17&lci=com.panoramio.all,weather


FOTO II  GOOGLE MAPS 
https://maps.google.com.br/maps?saddr=-28.274404,-52.439522&hl=pt-BR&t=w&mra=mift&mrsp=0&sz=17&z=16&lci=weather


FOTO III  GOOGLE MAPS 
https://maps.google.com.br/maps?saddr=-28.274404%2C-52.439522&hl=pt-BR&ll=-28.275593%2C-52.439961&spn=0.001382%2C0.002411&t=w&mra=mift&mrsp=0&sz=17&z=19&lci=com.panoramio.all


segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

FACEBOOK OFICAL DO SC GAÚCHO DE PASSO FUNDO

http://www.facebook.com/pages/Sport-Clube-GA%C3%9ACHO-de-Passo-Fundo-RS/152786168125012?ref=hnav




sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

CONCESSÃO DA ÁREA



C O N V O C A Ç Ã O 


CÂMARA DE VEREADORES
DIA 18.12.2012 
HORÁRIO  : 17:00 hrs 
SESSÃO PARA A CONCESSÃO DA ÁREA DO SPORT CLUBE GAÚCHO 


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Hino do Sport Club Gaúcho - Versão do ano de 1957





HINO OFICIAL SC GAÚCHO VERSÃO 1957



OS OPORTUNISTAS


O OPORTUNISTA 

O oportunista tira vantagem de sua vantagem mental para alcançar o que quer ,aproveita as oportunidades normalmente sem preocupações éticas.

É a oportunidade em pessoa e faz uso da boa vontade ou ingenuidade dos outros para atingir os seus fins. 

Aproveita-se do momento e faz da artimanha  a sua arma preferida .

Recorre à mentira como quem respira .

O oportunista é falso e não tem sentimentos de culpa,quanto à sua desleal maneira de agir .

Simpático e enganoso , tem sempre um sorriso nos lábios e saber usar da cortesia .

Leva os outros ao engodo apregoando o que não tem mas fazendo crer que é possuidor daquilo que apregoa.

Nunca diz a verdade não se afligindo por isso,aliás, tal fato ,deixa-o envaidecido.

É prudente e age em conformidade .

Caso algo dê errado , ele nunca assume e usa da difamação para se livrar de algum imprevisto ,vitimizando-se .



terça-feira, 11 de dezembro de 2012

AUDIÊNCIA PÚBLICA TERRENO DO SC GAÚCHO - Vídeo RBSTV


Vídeo RBSTV:

Audiência Pública trata sobre a nova sede do Gaúcho em Passo Fundo

http://globotv.globo.com/rbs-rs/jornal-do-almoco/v/audiencia-publica-trata-sobre-a-nova-sede-do-gaucho-em-passo-fundo/2280399/



sábado, 8 de dezembro de 2012

PASSEANDO PELO ESTÁDIO WOLMAR SALTON



Um passeio pelo Estádio Wolmar Salton

Visita aconteceu na quarta-feira, dia 5

Quarta-feira, 05 de dezembro, foi marcada por declarações emocionantes durante a visita realizada pelas direções do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), Sport Club Gaúcho e imprensa no Estádio Wolmar Salton. Após a visitação, houve momento de confraternização no Centro de Eventos do HSVP



O Hospital São Vicente de Paulo adquiriu a área de 21 mil e 600 metros quadrados do Estádio Wolmar Salton e piscinas do Sport Club Gaúcho, conforme anunciado 28 de novembro, durante entrevista coletiva concedida pelas diretorias do HSVP e do Gaúcho, no auditório do Ministério Público Estadual de Passo Fundo. Na oportunidade manifestaram-se o presidente do SC Gaúcho, Gilmar Rosso, promotor de justiça, Mário Guadagnin, presidente da Associação Hospitalar São Vicente de Paulo, Décio Ramos de Lima e os advogados Cássio Moreira (curador de Alexsandro Paz Dickel) e José Alexandre dos Santos.


Projeto de expansão
Construir uma nova unidade e consolidar um projeto de expansão do Hospital São Vicente de Paulo pelos próximos 50 anos é o objetivo da instituição com a aquisição do Estádio Wolmar Salton e da área do Sport Club Gaúcho, localizadas no Bairro Boqueirão.

Durante o jantar de confraternização, o administrador Ilário De David destacou que  “o HSVP é uma instituição filantrópica, dirigida por vicentinos, que tem uma grande importância social”. Ele evidenciou que no hospital oportuniza-se três mil empregos diretos. O corpo clínico é composto por mais de 700 médicos. Em uma área de 50 mil metros quadrados, situada na Teixeira Soares, a instituição tem 617 leitos, 20 salas de cirurgia, com estrutura de alta tecnologia em equipamentos como Tomógrafo 128 canais, tecnologia Tomossíntese aplicada à Mamografia Digital e Ressonância 3 Tesla, entre outros.

"Nós temos o projeto de ampliar a estrutura do hospital para 100 leitos. Por isso, a área do Sport Club Gaúcho foi adquirida com o firme propósito de instalar um hospital geral, com estrutura moderna e diferenciada. Com a aquisição dessa área, nós teremos mais leitos, mais oportunidades de trabalho e maior crescimento que, certamente, beneficiará a comunidade regional”.


Desfecho positivo
O prefeito municipal Airton Lângaro Dipp manifestou sua alegria com o desfecho positivo da venda do SC Gaúcho. Ele ressaltou que a noite de quarta-feira foi memorável pelo fato de que duas instituições centenárias no município consolidaram a continuidade de uma entidade histórica (o Gaúcho) e a expansão necessária do Hospital São Vicente. “A direção do Gaúcho, do HSVP, os advogados de Alexsandro Paz Dickel, o Ministério Público e o poder municipal deram contribuições significativas para resolver o problema do Gaúcho. No momento do leilão do SC Gaúcho, o estádio era palco de importantes eventos esportivos para Passo Fundo, o que motivou o decreto de tombamento”, justificou o prefeito, reforçando que só retiraria o tombamento se o Sport Club Gaúcho pudesse pagar todas suas dívidas com a venda da área. “Quando veio a proposta do HSVP, que tem credibilidade e desempenha um trabalho fundamental no município, eu disse que não poderíamos perder essa oportunidade. Passo Fundo é muito grato ao Hospital São Vicente”. Daqui para frente, o prefeito almeja que o Gaúcho tenha um estádio em outro local e que continue sendo chamado de Wolmar Salton.


Novo estádio 
O presidente do SC Gaúcho, Gilmar Rosso, mencionou que como professor de História e Sociologia, para ele não existe nada mais importante do que o ser humano, referindo-se a Alexsandro, que terá maior qualidade de vida após receber parte do valor arrecadado com a venda. Em seu pronunciamento na confraternização, Rosso agradeceu aos integrantes da diretoria do Gaúcho, aos advogados Dr.Darcio Vieira Marques , Alberi Falckemback Ribeiro,Jenoino Tonial ,Tiago Fincatto  e a todas as pessoas que acreditaram no clube durante os longos anos de crise e grandes dificuldades. “Agora nós teremos um novo estádio e somos um clube sem dívida nenhuma”, comemorou. 

O presidente do HSVP, Décio Ramos de Lima agradeceu o apoio e o trabalho gratuito dos Vicentinos que fazem parte da diretoria e conselho fiscal. Apaixonado torcedor alviverde, Lima lembrou a memória de seu pai que foi conselheiro do Gaúcho. “Tenho orgulho de seguir os passos de meu pai. Sinto-me emocionado em concretizarmos a compra do Sport Club Gaúcho, e pertencer ao Hospital São Vicente é a glória das glórias”.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

AUDIÊNCIA PÚBLICA APROVA ÁREA PARA O GAÚCHO


Publicada em: 04/12/2012 - 22:42 , por Amanda SchArr/ON

Audiência pública aprova concessão de área para o Gaúcho

A Prefeitura irá permitir ao clube o uso de terreno posterior ao Ginásio Teixeirinha, com 37 mil metros quadrados, pelo prazo de 30 anos


Uma audiência pública realizada no início da noite de terça-feira (4) deve viabilizar a permissão de uma área com mais de três hectares ao Esporte Clube Gaúcho. O espaço fica atrás do Ginásio Teixeirinha, ladeada pela RS 153 e pela Perimetral Sul. A concessão de uso pelo período de 30 anos obteve o apoio unânime das aproximadamente 20 pessoas que compareceram ao plenário da Câmara de Vereadores. As condições de uso e especificações da área foram apresentadas pelos secretários de Administração, Paulo Magro, e de Planejamento, Elenice Pastore.

O presidente do clube Gilmar Rosso defendeu a concessão da área e falou com satisfação das etapas superadas. “O Gaúcho seguiu à risca aquilo que a gente idealizou lá atrás: vamos pagar as contas que a gente devia, vendemos o patrimônio – que não era mais nosso, mas foi um grande acordo que beneficiou a todos sem exceção”, avaliou o dirigente. 

“Vamos olhar agora para frente. Houve um grande empenho de todos e foi feito um pedido ao prefeito, solicitando que nos cedessem uma área que será uma área não para o Gaúcho, mas para a cidade de Passo Fundo”, concluiu.


Projeto para uma arena

O engenheiro civil Jorge Gomes Rossato apresentou um projeto idealizado para o uso do local. Embora o compromisso inicial seja limitado ao estabelecimento de um campo de futebol, existe a ideia da construção de uma arena com acomodação para 10 mil pessoas sentadas e infraestrutura completa para torcedores e profissionais do clube. O clube buscará viabilizar o plano através do saldo restante da negociação do antigo estádio e também buscará o auxílio de grandes empresas e da comunidade. Também deve haver novo diálogo com o município sobre a possibilidade de que seja ofertada a terraplenagem da área.

Mas o presidente do Gaúcho é cauteloso sobre a concretização. “Vamos fazer o que é possível, não o que a gente sonha. Vamos ter os pés bem enterrados no chão”, brincou Rosso sobre a necessidade de ir com calma. 

Não foi revelado o valor exato do projeto porque ele ainda está em desenvolvimento, mas Rosseto afirmou que se estima um custo entre R$ 2 a 3 mil por torcedor. Além das arquibancadas, campo com tamanho oficial, já estão previstos restaurante, sanitários, vestiário e outras áreas de apoio. “São linhas simples e modernas, nos preocupamos com o custo da obra”, declarou o engenheiro.













domingo, 2 de dezembro de 2012






                                       CONVITE 



Dia        04/12/2012 

Horário   19:00  hrs

Local       Câmara de vereadores 

Assunto    Concessão de Uso de Terreno   SC Gaúcho