domingo, 30 de setembro de 2012


Gaúcho busca vitória neste sábado

Equipe busca vitória hoje, a partir das 15 horas, contra o Atlético


Créditos: Rodrigo Accorsi/ON
Gaúcho busca vitória neste sábado
Rodrigo Accorsi/ON

Hoje acontece a penúltima partida do Sport Club Gaúcho no returno da primeira fase do Campeonato Gaúcho da Segunda Divisão. A partir das 15 horas, a equipe do atacante Da Silva entra em campo, no estádio Paulo Coutinho, em Carazinho, para enfrentar o Atlético. O clássico regional promete muitas emoções, principalmente porque as duas equipes ainda têm chances de classificação para a próxima fase do campeonato. Dos seis times que estão no grupo A, quatro se classificam.

O Gaúcho aparece na 5ª posição, com seis pontos. O Atlético é o 6º, com três pontos. As chances de classificação do Atlético são remotas, mas existem. Para que o Gaúcho possa chegar à classificação, depende dele mesmo e de pelo menos um resultado negativo da equipe do Igrejinha, que na segunda-feira, 1º, enfrenta o Garibaldi, em casa e depois, pega o Aimoré, em São Leopoldo. O time deve começar com: Souza, Iuri, Marcelo, Ito, Douglas e Adriano. Alécio, William e Paulo. Da Silva e Nícolas.

Virada
Apesar de todas as dificuldades enfrentadas pelo Gaúcho durante a competição, o presidente, Gilmar Rosso, diz que está otimista quanto à partida de hoje e que a equipe conta com um importante aliado na busca pelo resultado positivo. “A nossa principal arma para o jogo é a vontade. Não sabemos o que pode acontecer porque o jogo é um clássico regional. O certo é que vamos tentar fazer a nossa parte para sair com o melhor resultado”, fala. O gol marcado por Léo, aos 40 minutos do segundo tempo contra o Aimoré, em São Leopoldo, pode ter sido o gol mais importante do campeonato para a equipe e o próprio Gilmar reconhece isso. “Esse pode ter sido o gol da virada do Gaúcho no campeonato”, diz.

Problemas
Há algum tempo o Sport Club Gaúcho passa por problemas administrativos com relação ao seu patrimônio e, nos últimos três anos, as ações da diretoria têm se dividido entre resolver os problemas dentro e fora de campo. Isso, segundo Gilmar, acaba influenciando nos resultados. “Não tenho como exigir que os jogadores façam o que não podem fazer se a nossa vida administrativa ainda não está resolvida”.

Tudo, de acordo com Gilmar, foi planejado para o que o time pudesse contar com quatro ou cinco jogadores diferenciados, mas a falta de recursos, impediu o andamento do projeto. “Estamos sem dinheiro e não vamos fazer bobagem. Não faltamos a jogos e o pagamento dos jogadores está em dia. Honramos a camisa do Gaúcho e isso para nós, já é um campeonato ganho”, completa. Ele avalia que até o final do ano tudo deva se resolver. “Temos dois motivos para continuar trabalhando: um é o Gaúcho em campo e o outro,na parte administrativa , é que estou muito otimista para que tudo se resolva da melhor forma”, finaliza
.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012


ESPORTE

Gaúcho intensifica treinos de olho na classificação

Vitória é fundamental contra o Atlético, em Carazinho.


Créditos: Rodrigo Accorsi/ON
Gaúcho intensifica treinos de olho na classificação

Restam apenas duas partidas para o término do returno da primeira fase da Segundona e o Sport Club Gaúcho segue na busca por uma vaga entre os quatro classificados para a próxima fase da competição. O empate por 1x1 contra o Aimoré, em São Leopoldo no domingo, 23, parece ter feito com que jogadores e comissão técnica mantivessem a motivação com a possibilidade da classificação. O Gaúcho jogou melhor que o Aimoré durante a maior parte do tempo, mas o gol de empate só foi marcado aos 40 minutos da segunda etapa, com Léo.

A equipe passo-fundense é a 5ª colocada no grupo A, com seis pontos marcados. O próximo jogo é em Carazinho, sábado, a partir das 15 horas, contra o Atlético, 6º colocado, com três pontos em oito partidas. Depois, sábado, dia 6, no último jogo, o Gaúcho recebe no Vermelhão da Serra, o vice-líder, Nova Prata, que tem 14 pontos. Aimoré, Nova Prata e Garibaldi já estão com vaga assegurada na próxima fase. A última vaga está sendo disputada entre Igrejinha, Gaúcho e Atlético de Carazinho.

Tempo escasso
De acordo com o presidente do Gaúcho, Gilmar Rosso, uma das principais causas da má campanha do time na Segundona, foi a falta de tempo para organizar a equipe. “Deixamos tudo pronto apenas uma semana antes do início da competição e isso nos prejudicou. Apesar de todos os problemas, pudemos ver um time mais delineado nas últimas partidas e agora temos que tentar bons resultados”, diz. Para que possa se classificar, o Gaúcho não depende só de si mesmo. É preciso torcer por pelo menos um resultado negativo do time do Igrejinha, que está em 4º, com nove pontos e joga contra Garibaldi (3º) e Aimoré (líder), na sequência.

Entrega
O técnico Celso Freitas fala que o time está pronto para o jogo contra o Atlético e que tem apenas um desfalque. Ele diz também que, se quiser se classificar o time precisa se entregar totalmente nas duas últimas partidas. “Nosso desfalque é o Guilherme, que está lesionado. Vamos ter que ir pra cima e pra ganhar”. O goleiro Souza retorna à equipe depois de ter cumprido suspensão contra o Aimoré. O time para a partida contra o Atlético deve ter: Souza, Nícolas, Marcelo, Ito e Fortes. Adriano, Alécio, Iuri e Paulo. Da Silva e William. Os atletas treinam durante toda a semana no campo do Seminário Nossa Senhora Aparecida.

PRÓXIMO JOGO SC GAÚCHO















SÁBADO 29.09.2012


ATLETICO CARAZINHO  X SC GAÚCHO 

15:00 HRS 

segunda-feira, 24 de setembro de 2012


Publicada em: 23/09/2012 - 22:12

Gaúcho empata com o Aimoré

Equipe permanece na 5ª colocação e precisa vencer duas que restam

Créditos: Arquivo ON
Gaúcho empata com o Aimoré
Rodrigo Accorsi/ON

O Sport Club Gaúcho empatou em 1x1 com o Aimoré, no estádio Cristo Rei, em São Leopoldo na tarde de ontem e mantém suas esperanças de classificação no Grupo A da Segundona. O Aimoré marcou com Lucas Silva no começo do primeiro tempo. Ele é o artilheiro da competição com 13 gols. O gol de empate do Gaúcho veio apenas aos 40 minutos da segunda etapa, com Léo, que aproveitou contra-ataque puxado pelo atacante Da Silva. O resultado deixa o Aimoré com 20 pontos e com a melhor campanha entre as equipes dos dois grupos. Em oito jogos, foram seis vitórias e dois empates. O Gaúcho permanece na 5ª posição na tabela, com seis pontos, à frente apenas do Atlético de Carazinho, que, jogando em casa no sábado, perdeu por 3x1 para o Igrejinha, que é o 4º colocado, com nove pontos. O próximo jogo do Gaúcho é contra o Atlético, em Carazinho. A última partida é em casa, contra o Nova Prata.

Gaúcho melhor

O jogo começou com o Gaúcho atacando, e, logo nos primeiros minutos o time quase abriu o marcador com o atacante Da Silva. Depois de alguns momentos pressionando, foi a vez do Aimoré partir para o ataque. Aos seis minutos de jogo o atacante Lucas Silva recebeu sozinho e marcou o gol dos donos da casa. Depois de ter levado o gol, a equipe treinada por Celso Freitas parece ter acordado na partida. Aos 24 minutos Da Silva recebeu lançamento, ficou sozinho, mas o goleiro do Aimoré se adiantou e tirou para lateral. O melhor lance para o Gaúcho no primeiro tempo veio aos 29 minutos com Guilherme, que perdeu ótima oportunidade para marcar.

Empate

No segundo tempo o técnico Celso Freitas promoveu a entrada de Nícolas no lugar de Alécio. Logo no primeiro minuto o Aimoré partiu para o ataque, mas o goleiro Tite defendeu. Depois, Guilherme aproveitou boa jogada, bateu pro gol, mas Marcelo Pitol fez boa defesa. Aos 12 minutos Da Silva não aproveitou e perdeu a chance de empatar o jogo. A partir daí o Aimoré começou a investir mais no ataque e ia perdendo boas oportunidades para ampliar o marcador. Aos 38 minutos, Lucas Silva tentou um gol por cobertura, o goleiro Tite tirou, a bola ainda bateu no travessão e saiu para escanteio. Aos 40 minutos, Da Silva puxou contra-ataque. Léo recebeu, girou dentro da área e empatou: 1x1. O técnico Celso Freitas avalia que o resultado foi justo e que o Gaúcho mereceu o empate. “Conseguimos o empate, que foi um resultado importante e nos deixa em condições de pensarmos em classificação”
.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

GAÚCHO X PALMEIRAS

.A equipe do Gaúcho que enfrentou ao Palmeiras de São Paulo para quem perdeu o amistoso por 3x1, em 15 de abril de l965. Em pé: Amâncio, Maneca. Nadir, Adair, Machado e Vadecão- Agachados: Meca, Gitinha, Olavo, Newton Queiroz e Antoninho

sábado, 15 de setembro de 2012

Time conquista primeira vitória

JORNAL  DIÁRIO DA MANHÃ


Time conquista primeira vitória

A equipe  do Sport Club Gaúcho proporcionou momentos emocionantes para a torcida que se fez presente ....

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

ESPORTE

Esporte | Publicado em 14/09/2012 

GAÚCHO CONQUISTA SUA PRIMEIRA VITÓRIA 




O Sport Club Gaúcho conseguiu sua primeira vitória no Estadual da Segunda Divisão, ontem à tarde, no Vermelhão da Serra. Com gols de William e Da Silva a equipe passo-fundense bateu o Igrejinha pelo placar de 2x1 e agora tem cinco pontos na tabela de classificação, à frente do Atlético de Carazinho, que tem três pontos. O líder do grupo A é o Aimoré, próximo adversário do Gaúcho, que tem 16 pontos. O Igrejinha permanece na 4ª colocação, com 6 pontos e enfrenta o Atlético de Carazinho na próxima rodada, em Carazinho. Ito (lesionado), Adriano e Souza, suspensos, são os desfalques do Gaúcho para o próximo jogo, em São Leopoldo.
Ritmo forte

O Gaúcho começou atacando mais e querendo impor seu ritmo pra cima do Igrejinha, que não conseguia chegar ao ataque e apenas se defendia. A insistência da equipe passo-fundense começou a dar resultado. Aos 15 minutos, depois de boa defesa do goleiro Samuel, numa bola cabeceada para trás pela zaga, Iuri carimbou o poste esquerdo do time visitante. O Gaúcho atacava mais e jogava mais que o time do Igrejinha. A partir daí, o desejo de acertar era tanto, que os erros de passes começaram a prejudicar a equipe da casa. O atacante Da Silva quase não recebia a bola e era difícil passar pela boa zaga do Igrejinha.

William marca

Aos 25 minutos o Igrejinha teve um pênalti claro, não marcado pela arbitragem. O goleiro Souza tentou tirar a bola e derrubou o atacante. O árbitro nada marcou, num lance que teve muita reclamação de toda equipe do Igrejinha. O zagueiro Ito, do Gaúcho saiu lesionado aos 35 minutos e deu lugar ao volante Guilherme. Um minuto depois, nova reclamação de pênalti por parte do Igrejinha. Souza saiu mal outra vez e novamente atingiu o atacante. No rebote, o lateral esquerdo Guilherme mandou uma bomba, por cima do gol. Aos 37, num momento difícil para o Gaúcho, William recebeu sozinho e teve tempo de escolher o canto: 1x0.

Empate

No começo da segunda etapa, o técnico do Igrejinha, Everton Luiz, promoveu a entrada do atacante Crouch no lugar do meia Gerson. O goleiro Souza foi exigido por duas vezes, logo no início. O gol de empate veio aos sete minutos, justamente com Crouch. O Gaúcho errava muitos passes e não conseguia sair de trás. A equipe da casa não aproveitou algumas boas faltas perto da área. Aos 15 minutos, Da Silva chutou forte, de longe, mas a bola foi para fora. Aos 21 minutos, o próprio Da Silva, recebeu na meia lua e tirou do goleiro Samuel, fazendo 2x1. Em seguida, Tereza desperdiçou outra boa chance. O lance mais polêmico veio aos 41 minutos. O jogador do Igrejinha chutou, a bola passou pelo goleiro Souza e bateu na trave. Jogadores e comissão técnica do Igrejinha reclamaram que a bola teria batido no lado de dentro do gol. O juiz e o assistente nada marcaram.

Ânimo

Quase chegando ao final da partida, ambos os times começaram a cometer algumas faltas mais pesadas, o que forçou o árbitro Daniel Noronha a distribuir alguns cartões amarelos e acalmar os ânimos mais exaltados. Sob protestos do Gaúcho, Noronha ainda deu sete minutos de acréscimos, mas o placar não foi alterado. O técnico Celso Freitas afirma que a vitória passa mais confiança para os atletas seguirem em busca dos resultados positivos na competição. “A vitória dá mais ânimo, sim. Principalmente pela atuação no primeiro tempo. Não esmorecemos e conseguimos administrar até o final”. 


quinta-feira, 13 de setembro de 2012


ESPORTE

Esporte | Publicado em 13/09/2012 10:04:09

Gaúcho joga sexta-feira contra o Igrejinha no Vermelhão da Serra


Partida da segundona será antecipada em função da Copa Coca-Cola

O Gaúcho recebe a equipe do Igrejinha na sexta-feira, a partir das 16 horas, pela 2ª rodada do returno do Campeonato Gaúcho da Segunda Divisão, no Estádio Vermelhão da Serra. O jogo, que seria realizado no domingo, foi antecipado, em função da realização da Copa Coca-Cola nos dias 16 e 17. 

Ainda em busca da primeira vitória na competição, o time treinado por Celso Freitas terá alguns desfalques em função de cartões amarelos, além do zagueiro Marcos, que operou o joelho e ficará seis meses parado. O atacante Jeferson também terá que passar por cirurgia e é mais um desfalque na equipe.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

SC GAÚCHO X IGREJINHA


SC GAÚCHO X  IGREJINHA    


SEXTA  14 .09.2012      

16:00   hrs 

VERMELHÃO DA SERRA




Informamos alteração de jogo, como segue:
Campeonato Gaúcho da Segunda Divisão – Edição 2012
Primeira Fase
Jogo: Gaúcho X Igrejinha
NOVA DATA: 14/09/2012 – SEXTA-FEIRA
NOVO HORÁRIO: 16:00 HORAS
Local: Estádio Vermelhão da Serra – Passo Fundo – RS
Att.
Luciano de Oliveira Elias
ASSESSORIA TÉCNICA
DEPTO DE FUTEBOL PROFISSIONAL
FEDERAÇÃO GAÚCHA DE FUTEBOL




 

ARTIGO 34º - Os jogos do CAMPEONATO DA 2ª (segunda) DIVISÃO DE FUTEBOL PROFISSIONAL – SÉIRE B DA FGF iniciarão nos seguintes horários: Diurnos - 15:00 (quinze) horas; Noturnos  20:00 (vinte) horas.                                                                                                         
§ 1º - Os clubes disputantes deverão obedecer aos horários de início das partidas, em virtude das possíveis transmissões de rádio e televisão, resguardados os casos de força maior, devidamente aprovados pela FGF. § 2º - Os jogos programados para os dias úteis, nos estádios dos clubes que não possuam sistema de iluminação para jogos noturnos, serão realizados à tarde, com início nos horários estabelecidos no caput do artigo. § 3º - Qualquer jogo programado nas tabelas do CAMPEONATO DA 2ª (segunda) DIVISÃO DE FUTEBOL PROFISSIONAL – SÉIRE B DA FGF, nas suas respectivas fases, poderá ser transferido para outra data e horário, COM A CONCORDÂNCIA DO ADVERSÁRIO, desde que, por motivo justificado (não oriundos de outras competições) e aceito pelo Presidente da FGF e desde que o mandante do jogo solicite a alteração com uma antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas, obedecendo-se o critério de intervalo de 48 (quarenta e oito) horas entre jogos, exceto os efetivados nas quintas e sextas-feiras, à noite, e aos sábados e
domingos à tarde. § 4º - Qualquer jogo do CAMPEONATO DA 2ª (segunda) DIVISÃO DE FUTEBOL PROFISSIONAL – SÉIRE B DA FGF poderá ser remanejado do dia ou alterado o seu horário, pelo Presidente da FGF, desde que não prejudique a seqüência normal dos jogos, visando o interesse da competição. § 5º - Somente na última rodada de cada fase é que os jogos deverã ser no mesmo dia e horário.                                                                          

Att.
Luciano de Oliveira Elias
ASSESSORIA TÉCNICA
DEPTO DE FUTEBOL PROFISSIONAL
FEDERAÇÃO GAÚCHA DE FUTEBOL
TRAVESSA FRANCISCO LEONARDO TRUDA
98 - 8º ANDAR - CEP: 90010-050
FAX:   (51) 3214-6033
CENTRO - PORTO ALEGRE/RS

terça-feira, 4 de setembro de 2012

BRAVA GENTE....





4/09/2012
Postado por: Kleiton Vasconcelos
                                              
SC GAÚCHO: COBRAR O QUÊ?

Seria muito injusto cobrar qualquer coisa do Sport Club Gaúcho. Quem convive com o dia-a-dia do Alviverde sabe das dificuldades de toda a ordem enfrentadas pela direção e comissão técnica. Afora as barreiras atuais, há de se lembrar toda a penúria que foi montar o time que bravamente joga a Segundona. Por isso, não há como cobrar vitórias e uma eventual classificação para a segunda fase. Só o fato de estar disputando o futebol profissional já pode ser encarado como uma conquista. É pouco, sei. Mas é o alcançável.

domingo, 2 de setembro de 2012


O SC GAÚCHO EM CAMPO , INDEPENDENTE DO RESULTADO, TEM UM OBJETIVO ...

Um desabafo ,do dirigente do São Paulo de Rio Grande , que tem muita semelhança com o  SC GAÚCHO ....


Na última segunda-feira (30), o vice-presidente do São Paulo de Rio Grande, Paulo Costa, emitiu uma carta aberta de desabafo, evidenciando a atual situação do clube, bem como algumas alternativas que podem ser adotadas por torcedores Rubro-Verde e empresários de Rio Grande para auxiliar na recuperação financeira do clube. 

Confira o texto na íntegra: 

Para aqueles que entendem de futebol, aqueles que vão a campo para criticar e pedir a saída do técnico, que ficam ofendendo jogadores, que chamam dirigentes de burro e de ladrão. Para estas pessoas vou explicar o que é um clube de futebol.

O São Paulo do ano 2000 ate 2011 teve mais ou menos 20 técnicos. Analisando os 20 nomes, vemos que cinco deles estiveram no comando mais de uma vez neste período. Aí pergunto: Adianta trocar? Será que não é melhor apoiar?  Se não for melhor, no mínimo é igual. 

E o que o São Paulo ganhou com tantas trocas? Dívidas trabalhistas, dívidas de água e luz. Dívidas que entre os anos de 2010 e 2011 o presidente Jair Rizzo pagou mais de R$ 120 mil e nesse ano de 2012 já pagamos mais de R$ 30 mil. A dívida trabalhista total é de mais de R$ 600 mil. A maioria dessas dívidas existe porque foram julgadas à revelia. Nos anos de 2010 e 2011 todos os processos que vieram foram defendidos e ganhos pelo clube. 

A dívida com a CEEE é de quase R$ 200 mil, a dívida com a CORSAN o presidente Jair Rizzo parcelou, em 2010, e acabamos de pagá-la.  

A dívida com a Receita Federal é de mais de R$ 1 milhão. Tudo isso porque o clube nunca teve um projeto, nunca teve um planejamento, sempre foi focado no imediato, no troca-troca, no famoso “tampão”.

Construímos a sala de imprensa e a tesouraria, montamos uma academia com aparelhos novos para os atletas e reformamos duas torres de refletores, além da reforma em todos os concretos das arquibancadas, pois se não fosse feito tudo isso o Aldo Dapuzzo não seria liberado para jogos e não teríamos campo para jogar. Temos  projeto da construção da Arena (arquibancada com camarote), temos o projeto da construção da quadra de futsal e salão social no espaço onde fica a antiga na piscina, temos um projeto para construção de uma academia toda em vidro na frente do estádio para uso dos sócios e a população de Rio Grande. Este novo espaço contaria com a mudança na fachada do estádio. Embaixo ficará a loja do clube, bilheterias e o portão de entrada, na parte de cima seria instalada a academia.

Mas como vamos fazer isso tudo para o torcedor se ninguém apoia? O poder público, os empresários e nem os torcedores apoiam, porque só vão aos jogos se o time estiver nas finais. Só que para chegar nas finais tem que começar desde o inicio, que geralmente é turbulento, marcado por vitórias e derrotas. Mas como chegar nas finais se não pagarmos os atletas no inicio da competição. 

O Grêmio não ganha nada a mais de dez anos e o torcedor mantém o time para tentar chegar nas finais, inclusive torcedores daqui da cidade, que não dão a mínima para São Paulo, Rio Grande e Riograndense, se dizem rio-grandinos bairristas, mas só se preocupam com Grêmio e Inter.

Eu escuto dizer que 70% da população é São Paulo. Se a cidade do Rio Grande tem 220 mil habitantes podemos fazer um rápido cálculo, 220 mil vezes 70% resulta em 154 mil torcedores. Se 70 mil doarem 50 centavos por mês teremos R$ 35 mil reais mensais. Se 2 mil se associarem a 20 reais por mês teremos R$ 40 mil por mês. Se cada empresário da cidade associar um funcionário em qualquer um dos três clubes, certamente manteríamos os três sempre jogando e bem.

Existem várias maneiras de manter os nossos clubes, o que falta é boa vontade dos empresários e mais interesse por parte dos torcedores, que não ajudam e ficam “corneteando”.  A  despesa do São Paulo gira em torno de R$ 100 mil, isso com atletas, comissão técnica, funcionários,  alimentação, casas, água, luz, telefone, internet,  tv a cabo, medicamentos, exames médicos,  máquina e gasolina para cortar grama, advogado- férias, décimo terceiro salário, PIS, tinta para marcação do campo (em todos os jogos), pagamento de CBF e FGF (que são anuidade), FAP, boletos, taxas de contratos, viagens dos jogos (cada viagem custa em torno de R$ 3 mil), manutenção dos estádio, lâmpadas, torneiras, portas, telhados, etc...

Nas rendas dos jogos são descontados 5 % INSS, INSS da arbitragem, 5 % justiça federal, 10 % justiça federal, uma taxa fixa justiça do trabalho (média de R$ 700), 10%, 30%, 40% da justiça do trabalho. Com todas essas despesas, como que tu colocas um time na primeira divisão? Sem apoio, sem compreensão, sem gente pra trabalhar - temos um rapaz e uma moça que trabalham no bar de graça, o restante são todos pagos. E agora as rendas estão todas confiscadas pela justiça, em 100%. Estamos com a folha do mês de março atrasada, onde faltam R$ 43 mil e no dia 10 de maio vencem todas essas despesas referentes ao mês de abril, que somam R$ 100 mil.

Vamos ter que demitir todos os jogadores, ficar com 11 para poder entrar em campo, ficar com o roupeiro atuando como técnico, auxiliar, preparador físico, gerente, massagista, treinador de goleiros, assessor de imprensa? Para a alimentação compramos marmitex e passamos a não pagar dívidas de água, luz e telefone. Assim nós vamos ter uma despesa de R$ 15 mil por mês e aí ninguém vai achar defeito, ninguém vai reclamar. Vamos apenas brigar pra não cair. O estádio vai ficar em ruínas como estava e a prefeitura irá tomar conta. Aí adeus time centenário. Por que nós temos três times centenários? Sendo que o Rio Grande é o vovô criador do futebol. E para que nos serve isso?  Olhem como se encontra os três clubes.  E o que vamos ser é uma história, na qual irão dizer que em Rio Grande um dia teve três times.

Todos dizem que a cidade está crescendo, mas quando cresce uma cidade não cresce tudo junto? Como o esporte, por exemplo, por que quanto maior o número de pessoas no município, mais áreas de lazer temos que ter e tem uma opção de lazer melhor do que esportes? Eu acho que nenhuma empresa poderia se instalar em uma cidade sem fazer um contrato de comprometimento com o esporte do município. Deveria ser lei em cada cidade..................