quinta-feira, 18 de abril de 2013

Sandro Sotilli assume como técnico interino






Sem treinador desde a queda de Ricardo Atollini, anunciada na segunda-feira (15) precedendo a 5ª derrota em cinco jogos na Série A2, o Sport Club Gaúcho segue a busca por um novo profissional que comande o time na competição. 

Enquanto o nome não é encontrado, a solução é caseira: desde o treino coletivo de ontem (17) os jogadores treinam sob orientação do centroavante Sandro Sotilli.É bem verdade que o ainda jogador exerce a função de técnico interinamente. Mas, a julgar pelo primeiro dia, é um caminho que pode ser trilhado pelo goleador. 

Antes do coletivo, no campo da UPF, uma reunião com o chamado “colegiado” determinou como seria a atividade. Nas mãos do presidente Gilmar Rosso estava uma planilha com um desenho tático, então debatido pelo dirigente com os auxiliares Chaparini, Régis Baiano e Marco Aurélio, além de Sandro Sotilli, 

Quando a bola rolou, Régis foi para o apito e Sotilli correu para a beira do gramado, começando a orientar os jogadores. Por vezes, deu dicas, cobrou e estimulou nas jogadas.

Conforme Gilmar Rosso, “estamos em busca do treinador e não vamos fazer nenhuma loucura. Queremos acertar no nome escolhido e por enquanto segue o colegiado”. 

Quando perguntado o que faria caso a contratação não seja anunciada até o domingo, dia do jogo contra o Riograndense em Santa Maria, o dirigente não teve dúvidas. “O colegiado do ano passado mais o Sotilli, que tem boa relação com os jogadores” respondeu.

Com a palavra, SotilliDa mesma maneira como em 20 anos não fugiu das divididas com os zagueiros, agora Sandro Sotilli não foge do desafio que pode ter se vier a dirigir o time. “Meu pensamento é ajudar. Já tive uma primeira conversa com os jogadores, que me passaram que sentem a segurança por eu estar ali. Vou trocar muita idéia com o pessoal do colegiado” complementou. Porém, engana-se quem pensa que esse é o encerramento da carreira de jogador. “A idéia é eu voltar a jogar quando recuperar da lesão, o que pode acontecer em 15 dias” comentou.

Mas, na condição de treinador interino, Sotilli até avaliou o primeiro coletivo à frente do time. “Gostei do que vi, procuramos deixar o time bem compacto, com um esquema variando entre o 3-5-2e o 4-4-2, respeitando as características dos jogadores. Nossa preocupação é fechar atrás, já que levamos 15 gols, sem esquecer do ataque. É um desafio novo” encerrou.

Kleiton Vasconcellos  
Jornal Diário da Manhã

Nenhum comentário:

Postar um comentário