quinta-feira, 14 de julho de 2011

Entrevista Pres. Riograndense para o BLOG PELEIA






Bate Bola com o Presidente do Riograndense !!!


           Hoje o nosso Bate Bola é com o Presidente do Riograndense Júlio César Ausani. Conversei com o presidente na Rádio Imembuí de Santa Maria na segunda-feira e na troca de passes o presidente do Riograndense começa falando sobre a decisão de não participar da Copa FGF:
...
         "Se nós participássemos dessa copinha, reconhecidamente deficitária, nós poderíamos colocar em risco esse equilíbrio econômico do clube no ano do centenário.
         Dentro desse contexto, a decisão da diretoria foi de buscar encaminhar algumas questões que são prioritárias no Riograndense. Nós temos uma estrutura que deixa desejar. 
        Nós não temos iluminação no nosso estádio, nós temos um projeto orçado em torno de 250 mil, foi aprovado junto ao escritório da cidade e agora nós precisamos retomá-lo.
        Nós precisamos melhorar as cabines de rádio, precisamos melhorar as instalações do estádio, nosso pavilhão. Temos a pretensão, quem sabe, fazer lá um campo de treinamento (suplementar), uma caixa de areia. A ideia também do vice presidente de futebol Dílson  de colocarmos a disposição uma sala de musculação para os atletas. Fora de campo nós precisamos retomar uma reforma estatutária que parou em 2005. Nós temos que implementar as categorias de base.
        São Muitas e muitas demandas de um clube."

       O presidente esmeraldino também fala sobre qual seria a fórmula ideal para Segundona de 2012, e revela que o Banrisul pode ajudar os clubes com patrocínio. 
       "Há um aceno que haveria algum auxilio além do pagamento da arbitragem, que seria sobre a forma de patrocínios e estaria sendo negociado com o Banco do Estado do Rio Grande do Sul. Isso melhoraria a condição dos clubes, mas evidente que elevaria o nível técnico, que é bom para o torcedor e pro campeonato. No entanto, torna a competição muito mais disputada e difícil. 
        Daí que a regionalização na primeira fase me parece salutar. Eu sou favorável que a primeira fase seja regionalizada. Isso diminui sensivelmente os custos e permite um certo nivelamento no inicio da disputa.
       É claro que a partir de um determinado momento sobrevivem as equipes de melhor qualidade e aí é inevitável as distâncias."

       O presidente se mostra descontente com a ideia de subirem apenas 2 para primeira. Ausani sugeriu ao Noveletto que subissem 4 e caíssem 4 da primeira:
        "Nós entregamos uma proposta um pouco diferente lá em Novembro para o presidente Noveletto. Nós queríamos 20 clubes ... 20 na primeira e 20 na segunda. Sobe 4 e desce 4 como é o campeonato Brasileiro. 
        Aí qual foi a resposta do presidente: que não, pois os clubes da primeira divisão não querem. Eu até perguntei pra ele: “mas quantos clubes votam na primeira divisão ? 16. Quantos clubes votam na segunda e na terceira ?"

       O presidente Ausani cobra mais transparência nas decisões da Federação, inclusive sugeriu que o seminário da Segundona fosse em Santa Maria. Outra ideia do mandatário esmeraldino foi a criação dos "Melhores da Segundona", como é feito no Gauchão, premiando os jogadores. 
      "O que se cobra é que houvesse uma transparência maior das decisões. As reuniões são meramente homologatórias, inclusive só pode ir 3 pessoas que tem acesso a sala, porque é muito acanhada. Aí chega lá é assim, assim, assado, colocam duas, três questões em decisão, para parecer que nós estamos participando e acabamos saindo de lá com o regulamento que muitas vezes não é nem lido pelos clubes."

       Amanhã, segunda-feira, o Riograndense irá realizar um seminário para decidir o futuro do clube e as suas prioridades para o ano do Centenário:
       "Na Próxima segunda-feira vai ser feito um seminário em que cada área do clube vai apresentar suas prioridades e ao final do seminário nós vamos ordenar essas prioridades por área. Isso vai ser transformado em um plano diretor do Riograndense.
      E a outra questão que foi colocada hoje como sugestão, que nós vamos levar também  para esse seminário, é a possível contratação de imediato um técnico que montaria a sua equipe técnica e já começaria imediatamente a trabalhar fazendo um levantamento dos atletas que estão na disputa da Copinha ... fazer um levantamento, sugerindo nomes e até der repente a gente busca firmar algum compromisso com atletas para começar com 45 dias de antecedência da abertura dos jogos a preparação para Série B."

       Sobre a permanência do técnico Sérgio Savian, o presidente preferiu esperar para ouvir a opinião dos outros conselheiros e diretores do clube:
       "É um grande nome, uma das pessoas que se destaca dentro do contexto daquilo que nós pensamos que deva ser, mas nós precisamos ouvir mais, ouvir o nosso torcedor, patrocinador, ouvir os demais membros do conselho e da diretoria.
       Não seria razoável, que nós chegássemos para ouvir as pessoas já com um nome pronto. Precisamos oferecer uma gama de nomes para que as pessoas possam analisar. Mas é um grande nome (Sérgio Savian), gostamos muito desse nome, nos prestou um grande trabalho. Agora, como eu disse, precisamos ouvir a todos."

Nenhum comentário:

Postar um comentário