domingo, 29 de maio de 2011


Correio do Povo

Porto Alegre, 29 de Maio de 201






Jornal Esportes 

ANO 116 Nº 238 - PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 26 DE MAIO DE 2011

Até 15 meses sem jogos

FGF planeja proibir que os oito clubes da Segundona rebaixados este ano disputem a Copa FGF

Novelletto alega que se os clubes caíram, é porque a 'situação não era boa'<br /><b>Crédito: </b> ricardo giusti / cp memória
Novelletto alega que se os clubes caíram, é porque a 'situação não era boa'
Crédito: ricardo giusti / cp memória
Uma decisão, ainda não definitiva, do presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), Francisco Novelletto, surpreendeu oito clubes do interior do Estado. Aimoré, Atlético Carazinho, Bagé, Garibaldi, Gaúcho de Passo Fundo, Guarany de Bagé, Milan de Júlio de Castilhos e Três Passos, todos rebaixados para a terceira divisão gaúcha em 2012, não poderiam se inscrever na Copa FGF deste ano, que tradicionalmente é disputada no segundo semestre.

"A princípio, a ideia é de que eles (os oito clubes) não joguem. Se foram rebaixados, é porque a situação não é boa. Alguns clubes não têm dinheiro para viajar, vão se endividar mais ainda. É melhor se reestruturarem para o ano que vem. Se eu achar que algum clube tem condições, eu convido para disputar a Copinha", justifica o presidente Novelletto.

A diferença para os anos anteriores é que os clubes não precisavam de convite, jogava a Copa FGF quem quisesse. Se a decisão for confirmada, esses oito clubes ficarão 15 meses inativos, já que a Terceirona 2012 começa no segundo semestre. Times como Garibaldi e Gaúcho de Passo Fundo nem entrariam na Copa da Federação por opção, mas estranharam a atitude da FGF. "Se o clube não tem dinheiro, o problema é dele. O Novelletto deu um ''canetaço'', isso é ditatorial. Cadê o sindicato dos jogadores? Nessa hora, deveria ser o primeiro a questionar a FGF. Acho que o Novelletto precisa rever a decisão, há uma discriminação por parte dele", diz o presidente do Gaúcho, Gilmar Rosso. "Quem deve dizer se vai jogar ou não é o clube", acrescenta. O dirigente chega a fazer uma brincadeira com a situação: "A Copa RS é que nem segurança da família Kennedy, não serve para nada".

Ele ainda afirma estar recebendo ligações de outros clubes tradicionais do Estado propondo a formação de uma Liga.

"Se os clubes acharem isso benéfico para eles, eu vou aplaudir", comenta Novelletto.

O presidente do Grêmio Bagé, Carlos Alberto Ducos, diz que ainda não recebeu uma informação oficial. "O Novelletto é um dos melhores presidentes que a FGF já teve", elogia. "O Bagé não tem nenhuma ação trabalhista, não deve nada para ninguém. Temos boa estrutura e ficar 15 meses parado seria um baque muito grande. Como eu vou me reestruturar se não estiver jogando? Olha a renda que eu vou perder", questiona. "Eu sempre me convidei para a Copa RS, não sabia que esse ano o Novelletto ia convidar os clubes. Acho essa medida ridícula, espero que não seja definitiva. O Bagé quer ser convidado", destaca Ducos.

"Eu já tenho até patrocínio. A decisão causaria muito desemprego. Falei com o Novelletto semana passada e ele disse para ter calma, que ele vai analisar cada situação", conta o presidente do Milan, Márcio Rubin.

O Aimoré dispensou quatro funcionários. "Não disputar a Copa RS até aceito, mas a terceira divisão poderia ser no 1 semestre, ninguém sabia que seria no 2. É um castigo duplo", lamenta o presidente Márcio Pico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário